INSCREVA SEU E-MAIL

NO FACEBOOK

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Desperdício de Água e Processos

Trecho do livro "Medição de Valor de Processos para BPM", Gart Capote, 2013.



Segundo o SNIS (Sistema Nacional de Informações sobre o Saneamento), o desperdício de água no Brasil gerou prejuízo de mais de R$ 8 bilhões só em 2010.
Ainda conforme informação do SNIS, do prejuízo alcançado, mais de 4 bilhões de reais poderiam ser poupados
se houvesse melhor eficiência no processo.


Ou seja, dos R$ 20 bilhões de reais envolvidos nas atividades de captação, tratamento e distribuição de água nas grandes cidades brasileiras, mais de R$ 8 bilhões vão “por água abaixo” ou “descem pelo ralo” – literalmente.
O custo médio do metro cúbico de água tratada no Rio de Janeiro está em torno de R$ 2,80. Se não houvesse tamanho desperdício do recurso em nosso país, poderíamos acreditar que nossa tarifa fosse algo próximo de R$ 1,70 (considerando a eliminação dos 40% de desperdício).


Quando falamos de prejuízo de oito bilhões de reais devemos lembrar que este prejuízo foi calculado considerando despesas de operação, que em 2010 estavam próximas de R$ 2,60 na mesma cidade. Sendo assim, e adotando esta mesma média, podemos estimar que os oito bilhões de reais, na verdade, são referentes a aproximadamente 3 bilhões de metros cúbicos de água.

Sei que é difícil imaginar essa quantidade toda de água, então, pense no seguinte; três bilhões de metros cúbicos de água são iguais a:

  • Mais de 3.000.000.000.000 (Três trilhões) de garrafas com um litro de água
  • Mais de 1.200.000 (Um milhão e duzentas mil) piscinas olímpicas
  • Mais de 15.000 (Quinze mil) Estádios do Maracanã
Conseguiu visualizar?

Pois bem, além do altíssimo custo financeiro desse defeito no processo de captação e abastecimento, temos um agravante ambiental, onde claramente percebemos o péssimo aproveitament¢o de um dos recursos mais importantes para a nossa sobrevivência no planeta. 

Um comentário:

Stefan Dal Pont disse...

Olá Gart!

Falando de água, os gastos financeiros são minimizados pelo impacto ambiental que isso gera nos dias de hoje em cidades como São Paulo, imagine para nossos filhos e netos.

Pensando em como mudamos isso talvez tenhamos que pensar em todo o "ciclo de vida" do cidadão, trabalhando com conscientização desde as primeiras etapas da vida.
Fora isso teremos ações pequenas que já terão grande impacto.

Infelizmente para mudar uma cultura anos são necessários.

Talvez não tenhamos tanto tempo

Obrigado Gart! Sucesso

Stefan Dal Pont
Criciúma-SC